Florianópolis registra protestos contra Dilma Rousseff e Michel Temer – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Florianópolis registra protestos contra Dilma Rousseff e Michel Temer

20522207Protestos a favor e contra o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) marcaram o domingo em Florianópolis. O primeiro deles começou por volta de 15h, na Avenida Beira-Mar Norte, em frente à sede da Polícia Federal (PF), e reuniu pessoas favoráveis ao afastamento definitivo de Dilma. O grupo pedia também o fim do foro privilegiado para políticos, apoiava a Operação Lava Jato e agradecia em cartazes e discursos a atuação do juiz federal Sérgio Moro. Cerca de 800 pessoas participavam do ato às 17h, segundo a Polícia Militar (PM). A organização falou em 5 mil.

Em outro ato, no trapiche da Avenida Beira-Mar Norte, integrantes de movimentos sociais e coletivos que formam a rede Fora Temer Floripa se manifestaram pela saída do presidente em exercício Michel Temer (PMDB) e pela garantia dos direitos trabalhistas e sociais. A organização do evento calcula que mais de 500 pessoas participaram do protesto. Já a PM afirma que 50 pessoas estavam no ato.

No primeiro protesto, com um Pixuleco – o boneco inflável do ex-presidente Lula vestido de presidiário – na mão e a bandeira do Brasil nas costas, a aposentada Maria Eunice, 75 anos, chegou de táxi à sede na PF na Capital. Ela já perdeu a conta de quantos protestos participou desde o ano passado, mas espera que o deste domingo tenha sido o último “antes da saída em definitivo da Dilma”. Maria entende que somente após a conclusão do impeachment de Dilma, “Temer terá liberdade para trabalhar”.

Não podemos cobrar muito do Temer porque ele assumiu o governo em estado de calamidade. Acredito que com a saída de Dilma, ele terá mais tranquilidade para trabalhar — comenta.

Já o empresário Ângelo Minatel, 52 anos, que não estava vestido com as cores do Brasil, disse que o mais importante nesse momento “é o povo seguir mobilizado eaprender a votar”. Segundo ele, as coisas não vão mudar no Brasil se as pessoas “seguirem votando em qualquer um”.

Já no ato a favor de Dilma e contra Temer, a professora universitária Fátima de Costa Lima, 56 anos, segurava um cartaz em que pedia a saída do presidente interino do cargo e cobrava “respeito à constituição”.

— A gente quer a Dilma de volta ao cargo pela qual foi eleita, não se pode passar por cima de mais de 54 milhões de votos e colocar na presidência um governo ilegítimo — destaca, para dizer que a classe média que apoia o governo interino de Temer não tem noção do que estão fazendo.

— Quando se derem conta, será tarde.

Compartilhe isso:

Leia Mais

Falta de controle de mosquito e mau atendimento são causas de epidemia de Chikungunya no Ceará
Ciclista morre durante evento em Blumenau
Prefeitura decreta luto oficial após morte de mãe e três filhos na BR-280
Tempo instável continua predominando em SC no início da semana
Gilmar defende que plenário do STF dê a última palavra sobre delações