Guarda-vidas resgatam 12 pessoas arrastadas – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Guarda-vidas resgatam 12 pessoas arrastadas

Eles tiveram trabalheira neste final de semana. Na praia Brava também teve resgate

O domingo de sol e calor fez com que as praias da região ficassem lotadas. Porém, muita gente se descuidou dos perigos do mar e teve que ser resgatada pelos guarda-vidas. Só em Navegantes foram 12 resgates de vítimas que estavam se afogando, informa o sargento Anderson Luiz Furtado, do Corpo de Bombeiros.
De acordo com o sargento, a maioria dos resgates foi de pessoas que estavam sendo arrastadas pelas correntes de retorno e não conseguiam retornar para a areia. As tais correntes de retorno são o que o povão chama de “repuxo”.
Um dos resgates foi próximo ao posto 1, o posto contêiner, na praia Central. Segundo os bombeiros, dois jovens de 14 e 16 anos estavam sendo arrastados e, como não sabiam nadar, não conseguiram retornar à areia.
Os salva-vidas viram que os dois estavam em apuros. O salvamento foi por volta das 16h. Um vídeo, feito pelos bombeiros, mostra o momento do resgate.
Na hora do salvamento, diz o sargento, o mar estava calmo, mas os rapazes abusaram e não respeitaram os limites. “Eles passaram da zona de arrebentação e não sabiam nadar”, explicou.
Na praia Brava, em Itajaí, os bombeiros resgataram um gurizão que tinha passado da arrebentação e estava sendo levado pela correnteza.

Tem que ter medo
A falta de atenção e excesso de confiança é uma das principais causas de afogamentos. O sargento Furtado comenta que, mesmo nos locais onde não há bandeira vermelha, os guarda-vidas chamam a atenção dos banhistas para que não ultrapassem a zona de arrebentação. Mas nem todo mundo respeita. “Os banhistas facilitam para o mar. A dica é ter atenção e respeitar os guarda-vidas, que estão ali pra ajudar”, disse.
O local do arrastamento dos dois adolescentes foi a 250 metros à esquerda do primeiro posto dos guarda-vidas. O posto foi montado em um contêiner e é um projeto piloto. Depois do posto 1 há uma casinha de madeira que serve como local de observação.
Nos 12 quilômetros de praia em Navegantes existem seis postos em alvenaria, um em contêiner e mais cinco casinhas de madeira de observação. Durante a temporada de verão 43 guarda-vidas trabalham nas praias da cidade.

Compartilhe isso:

Leia Mais

Sérgio Cabral é condenado a 45 anos de prisão; a mulher pegou 18 anos
Número de mortos por terremoto no México sobe para 251
Vereador Nei reclama do abandono da Praça da Paz
Temperatura deve passar dos 30ºC na maioria das cidades de SC nesta quinta
STF analisa hoje suspensão do envio de denúncia contra Temer à Câmara