Guarda-vidas resgatam 12 pessoas arrastadas – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Guarda-vidas resgatam 12 pessoas arrastadas

Eles tiveram trabalheira neste final de semana. Na praia Brava também teve resgate

O domingo de sol e calor fez com que as praias da região ficassem lotadas. Porém, muita gente se descuidou dos perigos do mar e teve que ser resgatada pelos guarda-vidas. Só em Navegantes foram 12 resgates de vítimas que estavam se afogando, informa o sargento Anderson Luiz Furtado, do Corpo de Bombeiros.
De acordo com o sargento, a maioria dos resgates foi de pessoas que estavam sendo arrastadas pelas correntes de retorno e não conseguiam retornar para a areia. As tais correntes de retorno são o que o povão chama de “repuxo”.
Um dos resgates foi próximo ao posto 1, o posto contêiner, na praia Central. Segundo os bombeiros, dois jovens de 14 e 16 anos estavam sendo arrastados e, como não sabiam nadar, não conseguiram retornar à areia.
Os salva-vidas viram que os dois estavam em apuros. O salvamento foi por volta das 16h. Um vídeo, feito pelos bombeiros, mostra o momento do resgate.
Na hora do salvamento, diz o sargento, o mar estava calmo, mas os rapazes abusaram e não respeitaram os limites. “Eles passaram da zona de arrebentação e não sabiam nadar”, explicou.
Na praia Brava, em Itajaí, os bombeiros resgataram um gurizão que tinha passado da arrebentação e estava sendo levado pela correnteza.

Tem que ter medo
A falta de atenção e excesso de confiança é uma das principais causas de afogamentos. O sargento Furtado comenta que, mesmo nos locais onde não há bandeira vermelha, os guarda-vidas chamam a atenção dos banhistas para que não ultrapassem a zona de arrebentação. Mas nem todo mundo respeita. “Os banhistas facilitam para o mar. A dica é ter atenção e respeitar os guarda-vidas, que estão ali pra ajudar”, disse.
O local do arrastamento dos dois adolescentes foi a 250 metros à esquerda do primeiro posto dos guarda-vidas. O posto foi montado em um contêiner e é um projeto piloto. Depois do posto 1 há uma casinha de madeira que serve como local de observação.
Nos 12 quilômetros de praia em Navegantes existem seis postos em alvenaria, um em contêiner e mais cinco casinhas de madeira de observação. Durante a temporada de verão 43 guarda-vidas trabalham nas praias da cidade.

Compartilhe isso:

Leia Mais

Câmara aprova continuidade do saque das contas inativas do FGTS
Defesa de Renato Duque entrega à Justiça foto para provar encontro com Lula
Quatro dias após rompimento de adutoras, há moradores ainda sem água na Grande Florianópolis
Quarta-feira tem tempo instável e temperaturas amenas
Ataque em Manchester choca por matar crianças, fortalece ideologias terroristas e expõe insegurança fora de capitais