Janot pede prisão de Renan, Sarney, Jucá e Cunha ao Supremo – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Janot pede prisão de Renan, Sarney, Jucá e Cunha ao Supremo

montagemrenanjucacunhaBRASÍLIA — O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) e do senador Romero Jucá (PMDB-RR). A informação é de um interlocutor de ministros do STF. Renan, Sarney e Jucá foram flagrados tramando contra a Operação Lava-Jato em conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Os pedidos de prisão já estão com o ministro Teori Zavascki, do STF, há pelo menos uma semana.

Janot também pediu o afastamento de Renan da presidência do Senado, usando argumentos similares aos empregados no pedido de destituição de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara e do mandato de deputado federal, o que acabou sendo atendido pelo STF.

Horas depois da revelação do GLOBO, o “Bom Dia Brasil” da TV GLOBO confirmou também o pedido de prisão do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha. Mas o motivo direto do pedido não seria a tentativa de atrapalhar as investigações da Lava-Jato, e, sim, por conta de que a decisão de Teori, em maio, de afastá-lo da presidência da Câmara e do mandato, não surtiu efeito e o deputado continuou interferindo no comando da Casa.
Cunha foi destituído da presidência da Câmara e do mandato de deputado por tentar atrapalhar a Lava-Jato e por ser portador de uma longa ficha de acusações de corrupção. Cunha foi citado como destinatário de propina por pelo menos sete delatores. Em razão das acusações, já responde a um processo e pelo menos quatro inquéritos no âmbito da Lava-Jato.

A assessoria do presidente afastado da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) informou que ele não irá se posicionar sobre o pedido de prisão dele feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot até ter conhecimento do teor do documento. “Eduardo Cunha não vai se posicionar sobre o pedido de Janot antes de ter conhecimento do teor”, informou a assessoria.

Os indícios de conspiração, captados nas gravações e reforçados pelas delações de Sérgio Machado e de seu filho Expedito Machado, são considerados por investigadores mais graves que as provas que levaram Delcídio Amaral à prisão, em novembro do ano passado, e à perda do mandato, em maio. De acordo com a fonte, Delcídio tentou manipular uma delação, a do ex-diretor de Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, enquanto Renan, Sarney e Jucá planejavam derrubar toda a Lava-Jato.

 

Compartilhe isso:

Leia Mais

Falta de controle de mosquito e mau atendimento são causas de epidemia de Chikungunya no Ceará
Ciclista morre durante evento em Blumenau
Prefeitura decreta luto oficial após morte de mãe e três filhos na BR-280
Tempo instável continua predominando em SC no início da semana
Gilmar defende que plenário do STF dê a última palavra sobre delações