Lava Lato: Presos faxinam e entregam marmita para reduzir penas – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Lava Lato: Presos faxinam e entregam marmita para reduzir penas

CURITIBA – Preso há mais de seis meses, o ex-deputado Eduardo Cunha assumiu a tarefa de lavar as marmitas no Complexo Médico Penal de Pinhais (CMP), onde cumpre pena no Paraná. Junto com Cunha, atuam o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e o ex-deputado André Vargas, ambos também responsáveis pela manutenção do presídio. Eles fazem serviços de pintura e toda sorte de reparos na unidade.

Na faxina, o revezamento é entre o ex-senador Gim Argelo, o ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada, o ex-deputado Luiz Argolo e os empresários Eduardo Meira e João Augusto Rezende. Eles limpam as celas, os vasos sanitários e áreas comuns.

Condenado a 23 anos na Lava-Jato, José Dirceu continua cuidando da biblioteca, onde faz fichamento e distribuição dos livros.

O trabalho tem uma razão principal: três dias de serviço no presídio equivalem a menos um de pena cumprida. E cada livro lido e resenhado vale por quatro dias.

 

Para aguentar a prisão, boa parte dos presos da Lava-Jato lança mão de remédios, como antidepressivos. Muitos se ressentem da proibição das visitas íntimas, de receber a mesma comida sempre e do frio da região. Como se trata de uma cadeia que recebe pessoas com alguma doença, a direção informa que não pode permitir encontros íntimos entre presos e suas parceiras ou parceiros.

A rotina na cadeia começa cedo: às 6h30m a unidade serve um café puro ou com leite e dois pães com manteiga. Às 8h, começa o banho de sol. Depois, já às 11h, os presos retornam às celas para que, em seguida, seja servido o almoço. Eles comem dentro da cela. A marmita entra pela escotilha.

Reclamações à parte, a ala dos presos da Lava-Jato é a mais segura e habitável do CMP. Eles não têm contato algum com detentos de facções criminosas. As celas abrigam somente dois presos e têm cinco metros de comprimento por três metros de largura, uma pequena pia, um vaso sanitário (sem assento) e uma TV.

 

Mulheres e filhas que vão visitar os presos são obrigadas a tirar a roupa e agachar (com espelho no chão) para a verificação de que não estão levando nada em partes íntimas.

Luiz Alberto Cartaxo, diretor do Departamento de Execução Penal (Depen) do Paraná, promete que, até o fim do ano, a cadeia já deve ter abolido a revista íntima, já que deverão ser alugados 19 aparelhos de escâner corporal.

Os presos da Lava-Jato também têm direito a um horário separado de visita entre as 13h e as 17h de sexta-feira, quando o movimento é menor.

Fonte: O Globo

Compartilhe isso:

Leia Mais

Temer diz que população entenderá aumento de impostos dos combustíveis
APROVADO PROJETO QUE PREVÊ TITULO DE CIDADÃO HONORÁRIO DE BOMBINHAS AO GOVERNADOR DE SC
Tarifas do transporte intermunicipal ficam mais caras a partir de domingo (23)
Santa Catarina fica abaixo de 0ºC pelo quinto dia seguido
Público faz campanha para Evaristo Costa ficar na TV, e Globo tenta reverter a decisão do âncora