Lava Lato: Presos faxinam e entregam marmita para reduzir penas – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Lava Lato: Presos faxinam e entregam marmita para reduzir penas

CURITIBA – Preso há mais de seis meses, o ex-deputado Eduardo Cunha assumiu a tarefa de lavar as marmitas no Complexo Médico Penal de Pinhais (CMP), onde cumpre pena no Paraná. Junto com Cunha, atuam o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e o ex-deputado André Vargas, ambos também responsáveis pela manutenção do presídio. Eles fazem serviços de pintura e toda sorte de reparos na unidade.

Na faxina, o revezamento é entre o ex-senador Gim Argelo, o ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada, o ex-deputado Luiz Argolo e os empresários Eduardo Meira e João Augusto Rezende. Eles limpam as celas, os vasos sanitários e áreas comuns.

Condenado a 23 anos na Lava-Jato, José Dirceu continua cuidando da biblioteca, onde faz fichamento e distribuição dos livros.

O trabalho tem uma razão principal: três dias de serviço no presídio equivalem a menos um de pena cumprida. E cada livro lido e resenhado vale por quatro dias.

 

Para aguentar a prisão, boa parte dos presos da Lava-Jato lança mão de remédios, como antidepressivos. Muitos se ressentem da proibição das visitas íntimas, de receber a mesma comida sempre e do frio da região. Como se trata de uma cadeia que recebe pessoas com alguma doença, a direção informa que não pode permitir encontros íntimos entre presos e suas parceiras ou parceiros.

A rotina na cadeia começa cedo: às 6h30m a unidade serve um café puro ou com leite e dois pães com manteiga. Às 8h, começa o banho de sol. Depois, já às 11h, os presos retornam às celas para que, em seguida, seja servido o almoço. Eles comem dentro da cela. A marmita entra pela escotilha.

Reclamações à parte, a ala dos presos da Lava-Jato é a mais segura e habitável do CMP. Eles não têm contato algum com detentos de facções criminosas. As celas abrigam somente dois presos e têm cinco metros de comprimento por três metros de largura, uma pequena pia, um vaso sanitário (sem assento) e uma TV.

 

Mulheres e filhas que vão visitar os presos são obrigadas a tirar a roupa e agachar (com espelho no chão) para a verificação de que não estão levando nada em partes íntimas.

Luiz Alberto Cartaxo, diretor do Departamento de Execução Penal (Depen) do Paraná, promete que, até o fim do ano, a cadeia já deve ter abolido a revista íntima, já que deverão ser alugados 19 aparelhos de escâner corporal.

Os presos da Lava-Jato também têm direito a um horário separado de visita entre as 13h e as 17h de sexta-feira, quando o movimento é menor.

Fonte: O Globo

Compartilhe isso:

Leia Mais

Após ficar uma semana sem voar, governo renova contrato de locação do helicóptero Saer Sul
Terça-feira deve ser de sol com nuvens em Santa Catarina
Bope faz operação no Turano em busca de criminosos da Rocinha
Seis bilionários possuem a mesma riqueza de 100 mi de brasileiros
POLÍCIA CIVIL DE SJB PRENDE SUSPEITO DE TENTAR MATAR O PADRASTO. DURANTE A OPERAÇÃO DROGAS FORAM APREENDIDAS