Primeira medalha de ouro do Brasil impulsiona venda de ingressos na Rio 2016 – Rádio Cidade FM

OUÇA AGORA! VEJA AGORA!

Primeira medalha de ouro do Brasil impulsiona venda de ingressos na Rio 2016

457lpaagcm_7y0divdu7r_fileA primeira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Rio 2016 impulsionou a venda de ingressos e os organizadores esperam um aumento de público nos próximos dias, embora algumas arenas, incluindo a de vôlei de praia em Copacabana, ainda sofram com arquibancadas vazias.

A judoca Rafaela Silva, que cresceu na Cidade de Deus, chorou na segunda-feira (9) ao levantar sua medalha de ouro para a multidão enquanto o hino nacional era tocado.

“Não há nada melhor para venda de ingressos do que o País ganhar seu primeiro ouro”, disse a repórteres nesta terça-feira (9) o diretor de Comunicação do Comitê Rio 2016, Mário Andrada.

— Brasileiros, como foi amplamente dito, são compradores de última hora, mas é impossível resistir quando você tem os Jogos em casa.

 

Cerca de 100 mil novos ingressos foram comprados na segunda-feira, bem acima da média de 10 mil por dia por cerca de duas semanas antes do início da Rio 2016. Por volta de 82% dos bilhetes disponíveis para segunda-feira foram vendidos, acrescentou Andrada.

— Queria que tivéssemos feito isto antes, mas não estamos reclamando, estamos olhando para o futuro e vamos vender mais e mais.

Um novo aumento no público pode ajudar a compensar um começo complicado, com organizadores admitindo nesta semana que somente a cerimônia de abertura, na sexta-feira, teve lotação máxima.

Até mesmo arenas icônicas, como a de vôlei construída ao lado do calçadão de Copacabana, têm sofrido com grande parte de assentos vazios.

Compartilhe isso:

Leia Mais

Gilmar defende que plenário do STF dê a última palavra sobre delações
Prisão de PMs reacende crise entre as polícias no Litoral catarinense
Sexta-feira tem céu encoberto e chance de chuva em algumas regiões de SC
Redução de licenças para pesca industrial da tainha afetará 700 pescadores em SC, prevê sindicato
“Grande acerto”, diz Jungmann sobre convocação das Forças Armadas