Quatro novas localidades em SC são liberadas para retirada de moluscos – Rádio Cidade FM

AO VIVO

Quatro novas localidades em SC são liberadas para retirada de moluscos

99168f78-d950-4211-8317-98c701ff0bceAs localidades de Ganchos do Meio, Ganchos de Fora e Canto dos Ganchos, em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, e Barro Vermelho, na capital catarinense, foram liberadas na terça-feira (12) para retirada, consumo e comercialização de mexilhões, ostras, vieiras e berbigões. As áreas estavam interditadas desde 26 de maio.

Segundo a Secretaria da Agricultura e da Pesca, atualmente, 25 localidades do litoral catarinense estão completamente liberadas e todos os moluscos podem ser consumidos.

Outras duas localidades seguem parcialmente interditadas, sendo permitida apenas a coleta, consumo e comercialização de ostras. O restante do litoral permanece interditado pela presença da toxina diarréica nos moluscos bivalves. As primeiras desinterdições ocorreram em 22 de junho.

Liberados
Com isso, o cultivo, a venda e o consumo de todos os moluscos estão liberados na Armação do Itapocú, em Penha; em Perequê, Ilha João da Cunha e do Araçá, em Porto Belo; Canto dos Ganchos, Calheiros, Ganchos de Fora, Fazenda Armaçao, em Governador Celso Ramos.

Em Florianópolis, estão liberadas as áreas de Sambaqui, Praia do Forte, Santo Antônio, Cacupé, Barro Vermelho, Freguesia do Ribeirão, Costeira do Ribeirão, Caieira da Barra do Sul, Serraria, Barreiros e Ponta de Baixo.

Em Palhoça, são Barra do Aririú, Praia do Pontal, Praia do Cedro, Enseada do Brito, Passagem do Maciambu e Ponta do Papagaio.

Parcialmente liberados
Estão liberadas só para ostras as localidades de Tijuquinhas e São Miguel, em Biguaçu.

Compartilhe isso:

Leia Mais

Trump promete sistema de saúde “para todos” em substituição ao Obamacare
Rio Grande do Norte tem nova rebelião em presídio
Semana começa com sol e temperaturas de até 35°C em SC
Estacionamentos em SC não podem ter placas se isentando de furtos
Familiares dos jogadores recebem 40 salários, e Chape estuda ação nos EUA